Comércio eletrônico se preparam para aumento da demanda no Natal

Comércio eletrônico já se prepara para o aumento de demanda previsto para o NatalAs empresas do comércio eletrônico já estão se preparando para as vendas de fim de ano. Ao menos é isso o que garante a gerente de risco da BuscaPé Financial Services, Maria Albina Barros Barbosa. “As equipes são reforçadas já no início de outubro, com o Dia das Crianças, para suprir uma demanda que normalmente se estende até o fim de janeiro”, informa.

De acordo com a profissional, nesse período já é possível observar um aumento no número de contratações na área de pagamento digital, especialmente no que diz respeito aos setores de atendimento, prevenção a fraudes e mediação de disputas.

Tal opinião é também compartilhada pelo coordenador da ClearSale, Ohmar Jarouche. Para ele, o aumento na demanda é ocasionado pela praticidade das compras on-line. “Nessa época muitas pessoas evitam as filas das lojas e optam pela compra de produtos na internet. Para atender a todos os pedidos, as empresas do setor costumam aumentar seu quadro de funcionários”, diz.

As datas comemorativas no e-commerce são sem dúvida alguma os momentos de maior faturamento do setor, e para enfrentar essa onda de compras é necessário estar preparado.

Treinamento necessário

Para evitar atrasos no processamento de pedidos ou mesmo na entrega dos produtos, as empresas de e-commerce têm investido também no treinamento de seus colaboradores. Dessa forma, é possível combater as fraudes – que aumentam nesse período.

“As equipes precisam ser preparadas para evitar as fraudes, afinal, com o aumento da demanda nas compras de fim de ano cresce também o percentual desse problema”, informa Jarouche.

Fraudes: os produtos mais visados

Entre os produtos mais afetados por esse tipo de ação destacam-se os de vestuário, calçados esportivos, telefonia, eletrônicos, informática, perfumes importados, e claro, os brinquedos e games.

“Esses também foram os produtos mais visados em 2010. Contudo, o aumento de ofertas de tablets, smartphones com tecnologia 3G e consoles nos sites de compras coletivas também exigirão mais atenção dos lojistas neste Natal”, diz Maria Albina. Para ela, o combate de fraudes depende, principalmente, da observação do mercado.

“É preciso não apenas responder rapidamente às tendências de fraudes, mas prevê-las. Os comportamentos fraudulentos recém descobertos devem ser compartilhados e os novos modelos de negócios devem contar com medidas preventivas de proteção”, aconselha.

Dicas para o comerciante

Os comerciantes que quiserem se proteger de tais ações, mas sem com isso passar uma imagem negativa aos consumidores, precisam estar atentos. Ao menos é isso o que aconselha Jarouche.

“Uma mudança no endereço de entrega exige atenção, mas não pode ser o único critério para determinar o cancelamento de uma compra”, diz o coordenador da ClearSale, que informa que alguns lojistas, por desconhecimento do mercado e-commerce, acabam cancelando os pedidos de seus clientes por receio.

Na opinião dele, a melhor atitude a se tomar em caso de suspeita de fraude consiste em confirmar a compra com o titular do cartão. “Não é possível ter fraude zero em uma empresa que trabalhe com vendas pela internet, mas é possível minimizar esse problema. Um cliente que é reprovado sem nenhum critério migra para outra loja”, esclarece Jarouche.

Fonte: Info Money

Comércio Eletrônico no Natal
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here