E-commerce cresce em países emergentes

E-commerce cresce em países emergentesO e-commerce continuará crescendo e se tornará cada vez mais estratégico para expansão de mercados, principalmente em países emergentes, é o que aponta o estudo realizado pela consultoria A.T.Kearney. Segundo a pesquisa, a população dos países em desenvolvimento está cada vez mais aderindo ao modelo de comércio online e isto abre novas fronteiras para os grandes varejistas crescerem globalmente. Mas é preciso conhecer melhor as características e preferências destes novos clientes, assim como aspectos culturais que definem as diferenças de cada mercado. “Consumidores online em diferentes países apresentam comportamento único e fazem compras na internet por razões distintas”, aponta o estudo.

Uma das maneiras de alcançar este objetivo é através de aquisições ou parcerias com players que já vêm atuando no e-commerce local. Foi isto que a Rakuten fez em junho de 2011 quando decidiu iniciar suas atividades no Brasil. A empresa adquiriu a Ikeda, fornecedora de serviços de comércio eletrônico para varejistas brasileiros, e incorporou os serviços de SaaS e plataforma de e-commerce desenvolvidos pela empresa. E em abril deste ano, inaugurou seu modelo de marketplace virtual, o Rakuten Shopping, prometendo oferecer uma gama completa de soluções para empresas que querem ingressar no varejo online.

“A Rakuten investe em empresas de e-commerce promissoras e mercados globais. Assim como no Brasil, operamos na França com a PriceMinister, na Tailândia com a Tarad.com, no Reino Unido com a Play.com, e nos Estados Unidos com a Buy.com. Nestes países, por exemplo, as empresas locais já possuiam um time talentoso e profundo conhecimento de mercado. A Rakuten veio somar know-how, tecnologia e capital, além de dar mais competitividade e crescimento aos negócios”, afirma Ken Okamoto, COO (diretor de operações) da Rakuten.

A A.T.Kearney também aponta as principais características de alguns países emergentes. Dentre as peculiaridades dos brasileiros, o estudo destaca a consciência de preço como o principal fator para um melhor relacionamento com o cliente. A busca pelas melhores ofertas, descontos, condições de pagamento facilitado e o frete grátis são algumas das exigências deste público no meio online.

“O consumidor brasileiro sempre espera por alguma vantagem extra ao decidir pela compra online. Tradicionalmente, os benefícios passam pelo pagamento facilitado em diversas parcelas, opção de uso de mais de um cartão de crédito ao fechar uma compra, frete grátis, preço diferenciado e brindes. Pelo sucesso alcançado na matriz com nosso programa Rakuten Super Points, ele também vigora em todas as outras unidades da Rakuten ao redor do globo. Especialmente no Brasil, dadas as características de compra dos brasileiros, o programa se encaixa muito bem. Ao comprar uma TV LED, o consumidor ganha, em Rakuten SuperPoints, o equivalente a uma garrafa de vinho, por exemplo. A grande vantagem é que o cliente pode escolher quando e com o que deseja utilizar seus bônus”, afirma Alessandro Gil, CMO da Rakuten Brasil.

Para a A.T.Keaney, as empresas devem aproveitar o momento de crescimento do setor e as melhores condições apresentadas por estes países para ampliar suas receitas.  O número de vendas online tem crescido em todos os países em desenvolvimento, como Brasil, China, Rússia, Chile e México. Somente no Brasil há uma estimativa de crescimento de R$ 8 bilhões nos próximos cinco anos, saltando de R$ 10,6 bilhões atuais para R$ 18,7 bilhões em 2017, principalmente por causa do fortalecimento da classe média brasileira e melhorias na infraestrutura nacional.

Com uma média de crescimento global de 13% no setor de e-commerce nos últimos cinco anos, especialistas acreditam que há espaço para muitas empresas se destacarem no setor, além disso, o online desponta como a opção de menor custo e risco se comparado ao modelo tradicional.

E-commerce cresce em países emergentes
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here