E o Google Shopping?

E o Google Shopping?Para quem lê o meu blog sabe que sou um grande defensor do Google. É uma empresa admirável, em pouco menos de 10 anos (hoje com 14) se tornou a marca mais valiosa do mundo, superando centenárias como Coca-Cola, Mc Donalds, General Motors, IBM entre outras. Hoje, a Apple superou o Google nesse quesito, mas isso não tira o mérito de uma empresa “adolescente” valer mais do que empresas com mais de 125, como a Coca-Cola por exemplo.

Da mesma forma que eu elogio e admiro o Google, eu também vejo alguns defeitos na empresa. Na minha humilde opinião, eu sempre achei que o Google, talvez pela cabeça empreendedora da sua equipe abusasse um pouco da sorte e da sua potente marca, digo isso no quesito, “atirar para todos os lados”.

Um segredo do sucesso é ter foco e vejo o Google perdendo isso em alguns momentos, lançando projetos que não tem nada a ver com o seu foco, com seu “core business” e que em muitos casos pode prejudicar a marca como um todo, ou seja, um produto mal feito pelo Google pode afetar, na percepção do usuário, a credibilidade da marca como o maior e melhor buscador do mundo.

A Coca-Cola vende refrigerante, a General Motors vende carro, a IBM vende tecnologia. O Google é um buscador! Será? O Orkut é uma Rede Social, o Google+ tenta ser. O Google Wave veio para ser tudo e não é nada, o Google Buzz veio ser um Twitter e não é, o Blogger, uma ferramenta de construção de blogs, perde – de longe – para o WordPress (mesmo eu preferindo o Blogger, tenho que admitir que o WordPress é mais avançado), ou seja, dentro do vasto universo que a Internet permite, o Google quer ser tudo, dominar tudo, mas perde, em muitos casos de longe para a concorrência, ou será que, por exemplo, alguém ache que um dia o Google+ ultrapasse o Facebook ou que mate o Facebook como ele fez com o Orkut, a primeira grande Rede Social, do Google, que parou no tempo.

O Google, na minha modesta opinião, deveria focar apenas, única e exclusivamente, no que faz de melhor, oferecer resultados relevantes as pessoas que usam a sua ferramenta, ou seja, ser um buscador! Focar seu time em estar sempre melhorando seus algoritmos para melhorar as buscas, afinal, não existe nada que não possa ser melhorado. E nesse quesito, buscas, para mim, o Google é imbatível.

O Shopping Google é um serviço recente (2011) do Google, ao menos no Brasil. Tem a interface muito similar ao Google, mas com uma busca mais focada em produtos. Gostei, logo na capa, oferece uma série de segmentos de produtos, sugerido como “algumas ideias para você”. Simples, mas eficiente, já oferece ali um caminho curto para o e-consumidor, que como sempre defendo é uma pessoa que quer tudo na hora, rápido e prático.

Espero que o Google já esteja pensando em ações de behavior target para entender o comportamento do usuário e oferecer, sempre, na primeira linha de sugestões produtos baseados na navegação do usuário, não apenas no Google Shopping, mas no Google como um todo, assim, o Google Shopping pode ter um grande diferencial frente ao Buscapé, seu maior concorrente no Brasil, o Google é o site mais acessado do país e a empresa tem como entender o comportamento de casa usuário baseado no rastro que ele deixa. O Google Shopping já é o 2º comparador de preços mais usado no país, será que o Buscapé está prestes a perder a liderança?

Outro fator que me chamou, positivamente, a atenção nessa ferramenta, foi além da navegação ser similar ao Google, até contanto com Links Patrocinados, foi o fato dos produtos possuírem uma resenha quando o usuário clica em “comparar preços”, logo que o usuário seleciona o produto, ele é direcionado a uma página onde compara preços por loja, o core business da ferramenta, mas também tem a resenha e mais detalhes do produto, infelizmente esses detalhes são apenas textos e poucas imagens. O consumidor quer – sempre – saber mais sobre o que está comprando.

Buscapé, Já Cotei, Zura, é melhor correr, pois seus dias de liderança estão contatos! O Google é a empresa que domina o mercado digital no mundo; no Brasil, cerca de 95% dos usuários acessam o Google e 97% dos e-consumidores tem essa ferramenta como principal fonte de pesquisa. Para migrar ao Google Shopping é questão de tempo e de comunicados e incentivos do Google para isso. E não vai demorar para ocorrer…

Avalie este artigo

1 COMENTÁRIO

  1. É muito bom ter uma visão e percepção de um blog tão conceituado sobre o assunto.

    Existem muitas lojas virtuais, mas vejo que falta dedicação no conhecimento, leitura e direcionamento para ações que gerem mais resultado.

    Vou testar o google shopping para a Charmony. Espero vender ainda mais!! Obrigada pela dica.

DEIXE UMA RESPOSTA