No e-commerce 6 em cada 10 candidatos para vagas são despreparados

No e-commerce 6 em cada 10 candidatos para vagas são despreparadosO e-commerce está com tudo no Brasil. No ano passado, o comércio eletrônico movimentou cerca de R$ 24 bilhões, alta de 29% em relação ao ano anterior, e a previsão é que em 2013 o país se torne o quinto maior mercado de varejo na internet.

Com o aumento do setor, crescem as oportunidades de emprego na área. No entanto, segundo o consultor de carreira da empresa de recolocação profissional Thomas Case & Associados, Marshal Raffa, seis em cada dez candidatos para vagas de e-commerce são despreparados.

A chegada da Amazon.com, a gigante do varejo online, contribui muito para a busca por pessoas qualificadas no país, de acordo com o consultor. A empresa demorou cerca de seis meses para preencher poucas vagas e ainda possui espaços. Até o fim do ano passado, três dos maiores sites de e-commerce do país – Fast Shop, Netshoes e Nova Pontocom, ofereciam quase duas dezenas de vagas a serem preenchidas.

“É um segmento relativamente novo, que demanda novas competências. Os profissionais precisam saber de muitas coisas: logística, redes sociais, marketing digital, atendimento ao cliente e pagamentos online”, comenta.

Falta de profissionais qualificados

Um dos profissionais mais requisitados no momento é o gerente de logística para e-commerce. De acordo com Raffa, há vagas para iniciantes e diretores também, porém, as exigências para os cargos mais altos são maiores. Um diretor precisa de formação sólida em engenharia, administração, comércio exterior ou economia, além de uma pós-graduação em logística e curso de especialização em comércio eletrônico.

Um gerente de logística de e-commerce pode ganhar entre R$ 15 mil a R$ 20 mil, enquanto um diretor chega a ter salários acima dos R$ 30 mil, dependendo da experiência e, obviamente, do porte da empresa que o contratou.

Para Alberto Valle, diretor do Curso de E-commerce, consultoria especializada em treinamentos na áreas do e-commerce e marketing digital, outro grande problema etá no tempo de formação de um profissional nesta área. “Não de forma um gerente ou diretor de e-commerce em um mês. Um profissional desse naipe é multidisciplinar e deve possuir experiência na área.” Afirmou o consultor.

Para Alberto, existem duas opções, investir em treinamento de quadros da própria empresa, através de cursos de especialização em áreas como marketing digital e logística, o que demanda um tempo, mas forma profissionais mais integrados à empresa, ou então contratar profissionais prontos, o que em função do aquecimento do mercado é uma alternativa mais onerosa.

Há muito tempo comentamos este problema aqui em nosso blog, sinal que o mercado continua muito aquecido e que para quem deseja fazer carreira nesta área, o momento é agora.

Com informações do Olhar Digital

Avalie este artigo

1 COMENTÁRIO

  1. Acho que a exigência para este tipo de mercado requer conhecimento em várias áreas, administrativa, logística, comunicação, além de conhecimentos técnicos do produto vendido! Muita coisa!

DEIXE UMA RESPOSTA