E-commerce não se limita a ter uma loja virtual

ter um e-commerce não é somente montar uma loja virtualMuitas pessoas, por senso comum pensam que o termo e-commerce, apenas tem a ver com uma loja virtual na internet, mas não, o assunto é mais profundo.

A letra E, que vem na frente de e-commerce advém da palavra eletrônico, e-commerce em tradução livre se trata de comércio eletrônico, agora eu lhe pergunto: É preciso ter uma loja virtual para se fazer comércio eletrônico? A resposta é não. Quantos negócios ou contatos com prospects você já fez por meio de seu site, ou até mesmo por meio de contato direto via e-mail? Com certeza inúmeros, portanto o termo é mais abrangente do que o senso comum prega.

Obviamente uma loja virtual é um exemplo completo de e-commerce, ou seja, agrega todos os fatores que caracterizam o comércio eletrônico: um site, um produto ou serviço, um meio de finalização de vendas sem espaço físico, mas devemos levar em conta que do mesmo modo que em um negócio físico um negócio virtual precisa de planejamento, estratégia e o principal: atenção ao cliente.

Volto a dizer que: muitas empresas não tem loja virtual e fazem e-commerce por e-mail, pelo site, pelas redes sociais, e de maneira nenhuma estou a desmerecer uma loja virtual, se ela for adequada para o seu negócio faça, porém invista! Estou dizendo que nem todo mundo precisa ter uma loja virtual para fazer e-commerce, não são todos os ramos de atividade que precisam de uma loja virtual, às vezes um site e a atenção dispensada ao cliente já é o suficiente para gerar receita.

E-commerce exige planejamento

Os pontos onde quero chegar são que do mesmo modo que em uma loja física ou empresa física, um e-commerce deve ter planejamento, não adianta achar que criando uma loja virtual, os internautas vão comprar com você, vão confiar em você e o dinheiro estará lá na sua conta facilmente.

Investir em tecnologias de apoio ao negócio como SEO, Links Patrocinados, E-mails profissionais, Chats para relacionamento com clientes, telefones para contato, aumentam a divulgação e a disponibilidade para atender aos clientes, ou possíveis clientes, demonstram profissionalismo e atenção, pontos que contribuirão e muito para angariar mais clientes e consequentemente conseguir o crescimento de seu comércio eletrônico.

A Internet não é um meio mais fácil de se fazer negócios, mas sim um meio mais fácil de se atingir públicos-alvo, portanto é preciso planejamento, interação, relacionamento com clientes ou não clientes, investimento de tempo e de algum dinheiro para tornar a experiência de compra o mais confiável possível.

Diariamente muitas pessoas abrem lojas virtuais sem nenhum planejamento, nenhuma divulgação, quase nenhum investimento e encerram suas atividades alguns meses depois porque “não deu certo”. Me pergunto: o que será que foi feito para que o projeto desse certo? Geralmente chego a conclusão de que o uso de estratégias equivocadas ou de nenhuma estratégia tornaram o projeto inviável.

Interagir com clientes via meios eletrônicos (e-commerce), precisa de esforço de tempo e de dinheiro, tanto quanto num comércio físico qualquer diferencial é fundamental e atender bem ao cliente é fundamental, com uma base de negócio bem organizada, dar atenção ao cliente se torna mais fácil.

Lembrem-se: o comércio é eletrônico, mas os clientes são reais!

E-commerce não se limita a ter uma loja virtual
Avalie este artigo

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here