Escolher a plataforma certa para o e-commerce é vital

A relação entre qualidade da plataforma de e-commerce e evolução da loja virtual é determinante para o crescimento dos negócios no mundo do e-commerce. Um erro muito comum dos empreendedores é escolher a ferramenta pelo melhor preço, sem ponderar se aquele produto vai atender as demandas futuras de um negócio que tem muitas possibilidades de se tornar grande em pouco tempo. Esse é um caráter específico do setor, que há anos vem superando as expectativas – em apenas cinco anos, o faturamento subiu cerca de R$ 10 bilhões. Ter uma plataforma de comércio eletrônico robusta é parte crucial de um bom planejamento para uma operação de e-commerce.

Para levar o projeto de e-commerce ao ar, o empresário precisa estabelecer o público-alvo, analisar os investimentos financeiros e, principalmente, definir os objetivos do empreendimento. Apenas com o diagnóstico será possível ter uma loja completa, pronta para atender as necessidades de hoje e de amanhã. O desafio realmente está em ter um sistema de e-commerce alinhado aos planos do lojista.

Funcionalidades da plataforma de e-commerce

A funcionalidade da plataforma de e-commerce deve ser o ponto orientador da escolha. É indispensável que ela seja compatível com soluções de segurança, o que é bom para os lojistas tanto quanto o é para os e-consumidores, que não compram se não estiverem em ambientes seguros e certificados. Outro aspecto que deve ser contemplado é se ela agrega as diversas formas de pagamento.

A JET e-Commerce, que já está no mercado há mais de dez anos, tem um sistema próprio de gateways de pagamento. Sem necessidade de sistemas intermediários, o pagamento é feito diretamente na plataforma de vendas da loja virtual. Esse é um diferencial que traz resultados positivos no número de pedidos fechados com sucesso. Com tantas opções, o cliente se sente assessorado, o resulta em uma melhor taxa de conversão para a loja virtual.

Mas, de acordo com o diretor de engenharia de software da JET, Fernando Mansano, o contratante deve buscar ainda uma ferramenta que possibilite integração com os sistemas das lojas física e virtual, como o Enterprise Resource Planning (ERP), traga os conceitos das melhores práticas, estabelecidas por institutos de certificação de qualidade de software, e acompanhem as necessidades dos clientes, seja para daqui a seis meses ou cinco anos.

Flexibilidade e inovação

O menor custo na contratação de uma empresa provavelmente vai gerar prejuízos no futuro. A correção de ‘bugs’ pode acarretar na queda de faturamento e atrapalhar todo o processo do e-commerce. Mansano explica que a plataforma também está diretamente ligada aos bons resultados na busca orgânica de lojas virtuais, prática conhecida por SEO, que gera maior fluxo de e-consumidores na empresa. Cada vez mais exigentes, eles esperam segurança e inovação, o que só pode ser garantido em uma plataforma de alta performance e flexível para mudanças. “A plataforma é o alicerce para a expansão do negócio com segurança, robustez e tranquilidade, garantindo assim a lucratividade da empresa”, conclui.

Escolha da plataforma de e-commerce
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here