E-Commerce

novembro 29, 2012 publicado por Josiane Osório

O risco do chargeback nos cartões de crédito

   

O risco do chargeback nas vendas por cartão

O risco do chargeback nas transações por cartão de crédito em lojas virtuaisO chargeback é um dos grandes fantasmas para os proprietários de lojas virtuais e responsável por um bom número de fechamentos destas lojas. O problema é muito maior do que as pessoas imaginam e não ganha a devida publicidade porque não interessa às administradoras de cartões de crédito fazer qualquer tipo de divulgação sobre o volume de fraudes que ocorrem na utilização de seus cartões porque isso afugentaria clientes e exporia a fragilidade destes sistemas de cobrança.

É uma questão de marketing das administradoras, mas esconde um dos maiores perigos das vendas online que é o chargeback nas operações com cartões de crédito e mais raramente nos cartões de débito.

O que é Chargeback?

Chargeback é o cancelamento de uma venda feita com cartão de débito ou crédito, que pode acontecer por dois motivos: um deles é o não reconhecimento da compra por parte do titular do cartão, e o outro pode se dar pelo fato de a transação não obedecer às regulamentações previstas nos contratos, termos, aditivos e manuais editados pelas administradoras. Ou seja, o lojista vende e depois descobre que o valor da venda não será creditado porque a compra foi considerada inválida. Se o valor já tiver sido creditado ele será imediatamente estornado ou lançado a débito no caso de inexistência de fundos no momento do lançamento do estorno. Os números são desconhecidos mas o que se sabe é que o volume é assustador principalmente nas lojas virtuais.

A verdade é que nenhuma administradora de cartão de crédito garante transação alguma nas vendas efetuadas pela Internet, ficando a cargo do lojista todos os riscos inerentes à operação. Este posicionamento expõem o vendedor a todo tipo de golpes que vão desde a fraude com cartões de crédito roubados/clonados até a má fé de alguns usuários que simplesmente alegam não reconhecer compras legítimas. É uma verdadeira Roleta Russa que pode levar a empresa a falência.

Para os novatos, vale um aviso. As administradoras de cartões de crédito, salvo raras exceções, não fazem qualquer tipo de análise de risco sobre a operação em andamento, a não ser a conferência dos dados cadastrais informados e a disponibilidade de saldo na conta do cliente. Fora isso, o risco é todo do lojista.

Condições Para O Chargeback

Quem lê e entende o contrato de credenciamento de uma administradora de cartão de crédito, em sã consciência, não assina. As cláusulas são leoninas e em muitos casos totalmente subjetivas. Resumindo as relações de responsabilidades descritas na maioria dos contratos, as administradoras tem todos os direitos e os lojistas arcam com todas as obrigações. Além do famoso contrato, são criados aditivos e novas regras que beneficiam exclusivamente as administradoras deixando em situação cada vez mais fragilizada o lojista.

O que está ruim pode piorar

Não bastasse o prejuízo pelo não recebimento pelas vendas efetuadas, o lojista ainda pode ser surpreendido pela bizarra situação de passar da posição de lesado para a de devedor da administradora. Suponhamos a situação em que o lojista efetua várias vendas e muitas delas são recusadas pela administradora. Independentemente das outras transações serem legítimas ou não, elas respondem pelo valor das transações fraudadas e portanto, devem ser usadas para reposição de valores que tenham sido sacados pelo lojista antes da negativação da compra. É justamente nessa situação que muitas lojas virtuais encerram suas atividades. Como o fluxo de vendas é interrompido, mas não o fluxo de negativação de compras já efetuadas, o resultado é um saldo devedor na conta do lojista afiliado.

Como resolver o problema?

Não há como ignorar a importância das vendas por cartões de crédito dentro do contexto de formas de pagamento disponíveis em uma loja virtual. Em nosso curso sobre criação de lojas virtuais, chamamos atenção para essa feceta extremamente sensível do e-commerce. A grande verdade é que sem cartões de crédito as chances de sucesso de uma loja virtual são bastante reduzidas, já que 60% das vendas são feitas dentro dessa modalidade de pagamento. Então, o que fazer? Existem duas saídas. A utilização de uma ferramenta de análise de crédito ou então a utilização de um gateway de pagamento que garanta as vendas aprovadas como por exemplo o PagSeguro UOL ou Pagamento Digital Buscapé. Em ambos os casos haverá um custo a mais em termos de taxa de intermediação nas vendas efetuadas pelo cartão, mas pelo menos você tem a garantia do recebimento.

GD Star Rating
loading...
O risco do chargeback nos cartões de crédito, 8.4 out of 10 based on 8 ratings

Artigos Relacionados:

11 Comments

  • Muito legal a matéria, gostaria de saber se o paypal serviria da mesma forma de o pagseguro.

    Obrigado

  • Como sempre quem paga conta, é quem está trabalhando honestamente, estou pensando seriamente em parar de utilizar o Pagseguro, e fica apenas com boleto e deposito em conta.
    o Pagseguro já bloqueou meus saques sem ao menos avisar o motivo, NÃO RECOMENDO.

  • ola! sou estudante, vejo que com todo esses custo fica dificiu ser competitivo nesse mercado, o que fazer para obter competitividade no e-commece.

    • Busque a diferenciação, agregue serviços e produtos que os concorrentes não tenham. Não tem como concorrer com os gigantes, mas se oferecer algo diferente o cliente que gostar comprará de você, pois o produto só é encontrado em sua loja.

  • OLha eu tive fraudes aos montes, chargeback, e tentei tudo, moip, pagueseguro, PD, e nada eles estornam do mesmo jeito.
    Conheci o Payseg, que é um seguro de vendas, em cartão, com esse não tive mais problemas, mesmo o cliente que cancela de má-fé, o payseg assegura o valor.Recomendo.

  • Pag Seguro e Pagamento digital nao tem segurança alguma, eles cobram o charge back de você do mesmo jeito! Por fim, decidi nao aceitar mais cartao de credito e estou feliz com a decisão! Nao se engane com : pag seguro, pagamento digital, MOIP, Mercado pago, ETC todos, absolutamente todos, vao te cobrar o charge back

    • Eles descontam quando o lojista não consegue provar que vendeu e a pessoa recebeu, coloque AR em compras feitas com o cartão, assim pode provar que a pessoa recebeu. Ja passei por isso e não me descontaram quando apresentei os documentos comprobatórios

    • Sr. Jonatas. Bom dia. O que significa o AR (seria aviso de recebimento postal) que é mencionado no seu comentário. Estou iniciando pequeno negócio de vendas pela net e estudando os riscos de venda com cartão de credito. Muito obrigado em responder.

    • Olá Gian

      O AR é o aviso de recebimento, um recibo emitido pelos Correios para comprovar que a mercadoria foi realmente entregue no endereço da postagem, o que confirma o cumprimento da obrigação de entrega por parte da loja virtual.

      Um grande abraço

      Alberto Vale
      http://www.cursodeecommerce.com.br

  • Depois de vários prejuízos, optei pelo pag seguro, porem após 1 ano o pag seguro reajustou as taxas de forma absurda em 141%, alegando que o Charge back era alto em nossas transaçoes. Fiz as contas e vi que não valia mais a pena. O que fazer?

  • Desde o início da minha loja virtual, o desenvolvedor do site optou pelo gateway pagamentodigital da buscapé, a burocracia é menor do que fazer direto pela administradora e também tem a vantagem de não corrermos risco com essas fraudes.Paga-se por uma segurança que na minha opinião vale muito a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>