A opção por lojas virtuais open source

A opção por lojas virtuais Open SourceDecidi escrever este artigo, pois sempre me questionam com relação ao uso de soluções de lojas virtuais open source, por exemplo, Magento e OS Commerce, para montar uma loja virtual. E, vejo o open source como um conceito muito interessante que favorece a colaboração em massa. Na prática, se isso fosse uma verdade absoluta seria o mundo ideal, mas não é!

Mesmo a solução open source sendo grátis, os códigos-fonte se tornando propriedade da empresa, a comunidade desenvolvendo novas funcionalidades e não existindo um vínculo com uma empresa de desenvolvimento específica, tudo isso pode não ser somente vantagem.

O download do código open source é grátis, mas alguém terá que fazer a implantação, customizar e sustentar essa solução para mantê-la disponível sempre evoluindo e apresentando diferenciais competitivos. Na maioria das vezes, as customizações realizadas modificam as características da solução que não fica mais amigável à instalação de novas funcionalidades disponíveis pela comunidade. A instalação de novas funcionalidades torna-se muito mais trabalhosa e a comunidade não acaba sendo aproveitada como poderia.

Lojas virtuais open source requerem estrutura

A equipe ou empresa contratada para implantar e customizar acaba concentrando todo o conhecimento do projeto, criando um vínculo forte com todas as regras de negócio da plataforma, amarrando-a a essa solução. Por último, ter o código-fonte não é somente uma vantagem. O código-fonte é um ativo da empresa que depreciará, caso não tenha um investimento contínuo em evolução e inovação.

Além disso, é necessária uma infraestrutura adequada para que, na maioria das vezes, faça as empresas fugirem do seu foco principal para cuidar desse tipo de solução, impactando diretamente nos resultados e custos da operação.  Também temos que considerar os problemas de segurança que uma solução de código aberto pode gerar por ter suas falhas muito mais expostas devido ao modelo de negócio.

As soluções de lojas virtuais open source seguem o mesmo ciclo de vida, com intensidades diferentes, onde temos o entusiasmo dos pioneiros, a adesão em massa que tem a sensação de crescimento acelerado e ganho, a fragmentação em subgrupos que customizam suas soluções e descaracterizam a solução principal e acabam criando um novo ciclo com um projeto próprio. Sendo que, esse ciclo terá um tempo maior de duração quando falamos de “commodities” como um sistema operacional, por exemplo. Consequentemente, uma solução de loja virtual que atende varejistas, particularidades dos países onde são implantadas e regras de negócio específicas de cada mercado, não pode ser considerada como um “commodity”.

Dentro desse cenário, uma solução open source se confunde com soluções comercias dentro do mesmo modelo de negócio de posse dos códigos-fonte e, portanto, podemos compará-las as linguagens de programação. Isso quer dizer que uma solução open source poderá concorrer diretamente com uma linguagem de programação e a empresa ou equipe que irá implantar poderá concorrer com as soluções comerciais do mercado, cada uma com seu modelo de negócio.

Alternativas para lojas virtuais open source

Diferente do modelo Open Source, soluções no modelo SaaS – Software as a Service, estão se tornando cada vez mais utilizadas. Esse modelo garante ao lojista foco no que realmente é importante para sua operação: “vender e entregar”. Em breve farei um artigo trazendo mais informações do modelo SaaS.

Para concluir é importante ressaltar que o planejamento de uma operação de comércio eletrônico é crucial para o seu sucesso e a plataforma é mais um dos pilares de sustentação. Não existe fórmula matemática para escolher uma ou outra solução e escolher errado pode influenciar diretamente em seus resultados. Portanto, não se deixe convencer pelos anúncios de loja “GRÁTIS”, já que vimos que isso não existe. O que existe são lojas virtuais open source, o que é outra coisa.

A opção por lojas virtuais Open Source
Avalie este artigo

3 COMENTÁRIOS

  1. Thonny,

    Eu não sei se entendi muito bem, mas você incentiva as pessoas a procurem hosts que forneçam e-commerce agregado com a hospedagem? Acho isso meio complicado.

    Quanto você contrata um host pensando que vai ter uma loja virtual, você precisa ter em mente que você vai entrar na linha de milhares de lojas virtuais. É como ter sair a rua e ver um monte de pessoas com camisas iguais.

    Ter uma loja virtual em um host é NÃO ter um diferencial, o código fonte todo para se trabalhar, raramente você poderá fazer customizações mais completas, pois sua loja estará dentro de uma estrutura pré-definida.

    E a pergunta que eu eu sempre faço a quem me procura para fazer e-commerce: “Por que alugar uma loja se você pode ter a sua?”

    Abraços!

  2. Bem, concordo em parte com seu artigo, como o colega disse anteriormente se você tem conhecimentos avançadas com sistemas, ter uma loja tipo magento e uma boa opção, você vai economizar bastante e compença!!!

  3. Bom eu utilizo um solução open source, o OpenCart que vem se destacando muito bem na rede, tem uma otima comunidade que sempre estão dando apoio, os modulos basicos como serviço de recebimento por terceiros como pagseguro e pagamentodigital, modulo de frete dos correios, todos funcionando perfeitamente. Realmente tive que eu mesmo manualmente fazer umas pequenas adptações qual a Central de Atendimento e layout, mais nada complicado, agora para aqueles que não tem nenhuma pratica principalmente com computador, ae sim recomendo procurar uma empresa especializada e com vasto portfolio pois não se gasta menos de R$3000,00 com um loja, mais fique atento pois picaretas a internet esta lotada, parta para empresas de host que forneçam tal serviço ja agregado com o armazenamento facilita bastante.

    Parabéns pelo artigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here