Pagtel fecha o primeiro semestre com crescimento de 13% no valor transacionado através de aparelhos móveis

Pagtel fecha o primeiro semestre com crescimentoA Pagtel fechou o primeiro semestre de 2013 com R$ 45 milhões transacionados em seu gateway de pagamentos móveis, o que representa um crescimento de 13% em relação ao semestre anterior. Além da diversificação do portfólio de serviços e produtos oferecidos pela empresa, os resultados apresentados vão de encontro com a expansão do mercado. De acordo com um estudo da consultoria norte-americana Gartner, o valor transacionado mundialmente no setor será de US$ 235,4 bilhões neste ano, o que, se confirmado, representará um crescimento de 44% em relação a 2012, quando foram movimentados US$ 163,1 bilhões.

Segundo Felipe Regis  Lessa, diretor de marketing e produto da Pagtel, o resultado positivo é fruto do crescimento orgânico dos próprios clientes, mas também do desenvolvimento de uma área de mobile marketing e relacionamento dentro da empresa. “Com um investimento relativamente baixo por parte dos nossos clientes, conseguimos um aumento médio de 15% nas receitas com as campanhas”, explica o executivo.

A expectativa da companhia é fechar o ano com um volume transacional de R$ 115 milhões e uma das apostas para atingir esse patamar está no aumento do volume de vendas de recarga e serviços por parte dos principais clientes da área de telefonia celular, como Vivo, Nextel e CTBC, marca da multinacional francesa Algar Telecom.

Empresa prepara lançamento de novos produtos

Já com foco no mercado varejista, a aposta da empresa é no lançamento de novos produtos de nichos. “O objetivo da Pagtel é construir um menu de opções de serviços pelo celular, transformando-o em uma “wallet digital”. Neste sentido, estão sendo desenvolvidos serviços com foco no consumidor final que vão desde o pagamento de delivery, taxis e compras de ingressos”, explica o executivo.

O primeiro produto lançado pela marca foi o Pagtel Delivery, uma solução para pagamentos de encomendas domiciliares, como restaurantes, lavanderias, pet shops, floriculturas, dentre outros. O objetivo do serviço é diminuir o tempo de espera por uma entrega do consumidor final, mas também ampliar a capacidade de entrega dos lojistas e donos de estabelecimentos com o cartão de crédito, que hoje depende totalmente das maquinetas.

Nos primeiros cinco meses do ano, a solução teve um crescimento de 120% em sua base de usuários. O ticket médio, ou seja, o quanto cada usuário gasta com o produto, também cresceu: passando de R$ 120, em dezembro de 2012, para R$ 200 em maio desse ano.

Segundo o executivo, a adesão por parte dos consumidores foi surpreendente. “Não esperávamos esse crescimento do número de usuários. A conveniência na entrega e a agilidade de ter uma entrega já paga antes de sair do estabelecimento foram os principais fatores que identificamos para a alta aderência”.

Para seguir com esse ritmo de crescimento, a empresa está em busca de outras soluções de pagamentos para oferecer ao seu usuário. “Estamos negociando com empresas de vale-refeição para colocá-las dentro do Pagtel Delivery. Atualmente oferecemos somente o cartão de crédito como forma de pagamento, mas com os tickets e vales ao nosso lado poderemos ampliar ainda mais a nossa atuação, sobretudo no período do almoço”, finaliza o executivo.

Pagtel fecha o primeiro semestre com crescimento
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here