Sua empresa está pronta para os sites de compras coletivas?

Muitos estabelecimentos entram na onda sem estudarem o risco que correm. Veja o que pode dar errado, pese prós e contras, e evite problemas. O site de compras coletivas Groupon – líder do setor – tem atraído muita atenção desde sua criação, há três anos. Tanto veículos de mídias quanto estabelecimentos comerciais acompanham com curiosidade os passos da gigante precoce, que já atua em cerca de 500 mercados em mais de 40 países.

À medida que o Groupon se aproxima de abrir seu capital o frenesi ao redor de portais do gênero só aumenta – e o lançamento por parte de Google e Facebook de serviços semelhantes contribuiu ainda mais. É preciso, portanto, elucidar sobre que tipo de empresa só tem a ganhar com a oferta de cupons de desconto e quais têm muito a perder.

Assim, listamos a seguir sete efeitos negativos que portais de compras coletivas podem trazer para o seu negócio.

Você pode perder dinheiro

Histórias de horror – como o de uma cafeteria de Portland, nos Estados Unidos, que perdeu oito mil dólares com o Groupon – estão espalhadas pela Internet. Para algumas companhias, especialmente aquelas com altos gastos com manutenção e pouca margem de lucro – como academias de yoga – os resultados podem ser catastróficos.

Taxas

Atualmente o Groupon cobra 50% da quantia que o estabelecimento arrecadar com a promoção. Embora muitos digam que, ainda assim, vale a pena, é preciso ter em conta a taxa cobrada pelo serviço. Se algo não der certo, os sites de compra coletiva não dividirão o prejuízo com você.

Desvalorizando a própria marca

É você quem decide o preço das mercadorias que vende. Há uma razão para isso, seja o produto um sorvete ou um sapato – sem contar que, por vezes, o valor cobrado faz parte da imagem que o público tem do estabelecimento. Quando se decide fazer uma promoção agressiva a partir da oferta de cupons, isso implica que a sua companhia poderia ser mais flexível – ou bem mais flexível – com os preços que determina. Ou seja: passa a ideia de que o produto não vale o quanto se cobra por ele.

Atendimento

Seus funcionários, por saber que os clientes com cupons estão trazendo menos dinheiro à empresa do que consumidores que pagam o preço cheio, podem tratar os fregueses de maneiras diferentes. Em minha pesquisa, encontrei inúmeras pessoas que tentaram usar o desconto e, por esse motivo, foram mal atendidos. Elas não pensam duas vezes antes de divulgar suas impressões, o que pode ser péssimo para a imagem de seu negócio.

Insatisfação de clientes antigos

É difícil conseguir a fidelidade dos consumidores, mas, uma vez obtida, é preciso garantir que não se irá perdê-la. Um modo de deixá-los descontentes é, sim, oferecer um produto que eles compram há anos para um monte de pessoas pela metade do preço. Como seus fiéis clientes se sentirão?

Perda do controle

Os e-mails enviados com as promoções do dia contêm uma descrição rápida sobre o serviço ofertado. Embora o texto costume ser esperto e divertido, o estabelecimento não tem controle sobre o que será escrito. É lógico que ao outro lado – o portal de compras coletivas – também interessa tornar o negócio o mais interessante possível, mas, às vezes, a estratégia de venda, a publicidade veiculada, pode bater de frente com a imagem que você quer que sua marca tenha.

Não são seus clientes

Em geral, os usuários de compras coletivas adquirem um determinado produto atraídos pelo ótimo desconto oferecido. São esses os clientes que você quer? Serão esses que vão sustentar seu estabelecimento pelos próximos anos e elogiá-lo aos amigos, ajudando na divulgação da marca? Claro, há muitos consumidores que retornarão à loja, mas quanto à maioria, aquela que não vê grande utilidade no negócio e não mora perto – só quis aproveitar a oportunidade – qual a chance desse grupo retornar, disposto a pagar, desta vez, o preço cheio?

Muita calma nessa hora

O que fazer então? Tentar uma promoção a partir dos portais de compras coletivas ou deixá-los de lado? Antes de mais nada, estude os número de seu negócio. Alguns estabelecimento simplesmente não suportam a demanda gerada pelos maiores do gênero. Não seja convencido por uma moda e saiba que há outras formas de divulgar sua marca.

Se estiver convencido de que vale a pena tentar, entenda que tipo de consumidores você irá atrair e tente convencê-los a voltar. Por fim, peça a seus funcionários para que tratem bem todos os consumidores – mas que deixem claro como os fregueses de sempre são especiais.

Por Ilie Mitaru no IDG Now

Riscos para empresas nos sites de compras coletivas
Avalie este artigo

4 COMENTÁRIOS

  1. Ótimo artigo, e ótima colocação do Greg Reis… talvez possamos analisar o comentário não o tornando excludente do último parágrafo, mas fazer uma adaptação para melhorá-lo, pois pode ser interessante fortalecer a imagem do cliente fiel o que possui esta vantagem de poder desfrutar do serviço na hora que der na telha.

  2. Gostei do artigo, interessante para vermos como o lado do estabelecimento não é só maravilhas.
    só não concordei com o último parágrafo: “… mas que deixem claro como os fregueses de sempre são especiais.”
    claro que a fidelidade do cliente é essencial, mas o cliente da compra coletiva paga antecipado o que vai consumir muitas vezes 2 meses depois, nem o cliente fiel faz isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here