Tablets deverão ser o principal dispositivo de comércio on-line no futuro

Cada vez mais as pessoas se utilizam de iPads e outros modelos de tablets quando querem fazer compras, e um dia a utilização destes dispositivos para o comércio poderá superar a de smartphones e até mesmo a de computadores.

Esta é a conclusão de um relatório da Forrester Research publicado na segunda-feira, baseado em uma pesquisa conjunta com a Bizrate Insights. Apesar de apenas 9% dos entrevistados possuírem tablets, as vendas via este dispositivo já respondem a 20% do total do m-commerce, e 60% dos proprietários destes aparelhos os utilizam para fazer compras.

“Todos pensam que telefones móveis e o comércio móvel serão as próximas grandes atrações no comércio eletrônico, mas penso que estes dados mostram que quem realmente será são os tablets”, afirmou Sucharita Mulpuru, analista de e-commerce da Forrester e co-autora do relatório. “Sempre estimamos que o e-commerce alcançasse entre 10-15% do total das vendas do varejo, mas estes novos dispositivos terão a capacidade potencial de expandir este número ainda mais”.

Tablets oferecem a varejistas e consumidores algo que os telefones celulares e computadores não podem: a experiência de folhear um catálogo em um display, com fotos grandes e tempo de carregamento mais rápido que diversos sites da web.

Por exemplo, o TheFind’s Catalogue para iPad, que inclui varejistas como Crate & Barrel e Sephora, permite que as pessoas folheiem páginas com toques na tela. O aplicativo da Gilt Jetsetter para viagens utiliza seu iPhone para visualizar resorts de diferentes ângulos. Varejistas podem personalizar seus catálogos para consumidores proprietários de tablets com base em seus interesses e histórico de compras, afirmou Mulpuru.

Para os varejistas, estes tipos de recursos lhes dão a chance de apresentar melhor os seus produtos e não concorrer apenas via preços. Do lado dos compradores, 80% daqueles que possuem tablets em suas salas de estar fazem compras de uma maneira agradável como nunca haviam sido desde o surgimento do e-commerce.

“O elemento da descoberta está em falta no mundo online, porque a maioria das pessoas vai ao Google, e ali não se descobre nada, apenas se digita algo em uma caixa de pesquisa”, prosseguiu Mulpuru. “ Mas tablets trazem experiências de compras muito mais próximas de uma experiência física”.

40% dos proprietários de tablets utilizam estes dispositivos ao invés de seus desktops quando há a possibilidade de escolher entre ambos, afirma o estudo da Forrester. E apesar de mais pessoas estarem comprando smartphones, seu principal uso é para comparar preços e recebimentos de cupons móveis, pois é frustrante a compra por meio de uma tela pequena para itens de navegação ou para entrar com informações de pagamento. A maioria dos proprietários de dispositivos, principalmente os jovens, prefere fazê-lo com tablets, afirma o relatório.

Ainda assim, os comerciantes tem sido lentos em aproveitar esta oportunidade. Foi gasto em média apenas US$ 14,000 por varejista em desenvolvimento de ferramentas de compras para tablets. A Forrester prevê que um terço dos americanos adultos possuam este dispositivo até 2015.

Tablets deverão ser o principal dispositivo de comércio on-line
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here