Turismo vira alvo no comércio eletrônico

Turismo vira alvo no comércio eletrônicoEm busca de margens de lucro mais vistosas, grandes empresas do comércio eletrônico começam a desembarcar no segmento de turismo. No fim do ano passado, o Magazine Luiza e a Nova Pontocom, grupo que reúne as operações on-line de Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, lançaram parcerias para oferecer pacotes de viagem a seus clientes. A meta é tentar abocanhar uma fatia desse mercado, que, só no ano passado, movimentou cerca de R$ 8,7 bilhões, de acordo com a consultoria E-consulting.

Para migrar com segurança para essa nova área, as varejistas estão buscando parcerias. A Nova Pontocom, por exemplo, escolheu a operadora de turismo CVC para atuar como fornecedora de pacotes turísticos. O braço turístico da companhia levou o nome de Partiu Viagens e foi lançado em 15 de dezembro, com o objetivo de trazer mais retorno de uma base de milhões de clientes.

— Temos cerca de três milhões de visitantes únicos por mês em nosso site e queríamos oferecer um tipo de serviço que eles não estão encontrando em outros lugares, para complementar a nossa oferta de produtos — disse Vicente Rezende, diretor de marketing da Nova Pontocom.

Já a parceria entre o Magazine Luiza e o site de turismo Hotel Urbano, lançada no fim de novembro passado, nasceu do interesse da varejista de ampliar sua oferta de produtos. Para o Hotel Urbano, a associação com o grupo de varejo era uma oportunidade de acessar novos clientes, que ainda não se aventuraram na compra de pacotes turísticos através da internet.

— A ideia surgiu em uma reunião da equipe comercial do e-commerce do Magazine Luiza, há cerca de dois anos. Queríamos aproveitar o grande acesso ao nosso site de consumidores que nos visitavam em busca de produtos e também serviços. Um desses serviços, sinalizados por clientes através do nosso atendimento televendas, eram pacotes de viagens, passagens etc. Após vários estudos de mercado, resolvemos fechar uma parceria — disse o diretor de e-commerce do Magazine Luiza, Decio Sonohara.

A diretora de marketing do Hotel Urbano, Roberta Oliveira, explica que o site paga uma comissão para todas as vendas geradas pela página do Magazine Luiza. Além do tráfego de clientes, ela diz que a empresa se beneficiou da associação de seu nome a uma marca já fortemente estabelecida no mercado de São Paulo, onde planeja crescer neste ano.

— Foi um casamento perfeito. O Magazine Luiza entrou com a base de clientes e links, entrou com a divulgação, e nós oferecemos toda a estrutura operacional e de atendimento ao cliente — disse Roberta.

Além de grandes competidores, o segmento atrai também novos negócios, como o Aldeia Brasil, site lançado em janeiro deste ano com um investimento inicial de R$ 3 milhões, que pretende chegar a até cem mil clientes no fim do ano.

— Mesmo com muitos competidores, o mercado tem grande potencial de crescimento — disse Rubens Yoshida, presidente da Aldeia Brasil.

Para ele, o segredo para crescer nesse segmento do comércio eletrônico é trabalhar com destinos ainda não explorados e agregar mais serviços.

— Estamos negociando com companhias de ônibus para oferecer pacotes personalizados, que incluam destinos só com acesso por terra.

Fonte: Jornal O Globo

Turismo vira alvo no comércio eletrônico
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here