Vanderlei Luxemburgo investe em e-commerce de vinho

Vanderlei Luxemburgo investe em e-commerce de vinhoO crescimento do e-commerce entusiasmou Vanderlei Luxemburgo que decidiu fazer uma jogada fora dos campos de futebol: o treinador do Grêmio acaba de fazer um investimento no site bento-gonçalvense Compre Vinhos, do empresário gaúcho e representantes das oito maiores importadoras de vinho brasileiras, Rafael Zardo.

De acordo com o empresário da Serra Gaúcha, a parceria vai permitir expandir ao portal não só expandir a distribuição para toda a América Latina, mas também abrir lojas físicas em Porto Alegre e São Paulo.

O site negocia diretamente com as importadoras e vinícolas, o que permite baixar o preço, que, segundo garante o fundador, pode ficar até mais barato do que em cidades da fronteira com o Uruguai, como Jaguarão e Santana do Livramento, onde muitos gaúchos costumam fazer compras por contarem com preços menores do que no estado.

Em geral, Zardo afirma que os valores praticados no site são até 85% mais baixos do que em outros portais ou lojas físicas.

O site conta com mais de dois mil rótulos, que vão de R$ 8 a R$ 150 mil, trazidos pelas importadoras Vinho Sul, Franco Suissa, Ravin, Berenguer, Hannover, da Confraria, De Vinum e Del Maipo, e isentos de impostos.

Um evento de lançamento da parceria Luxemburgo – Zardo para o site será realizado na hoje, 18, às 20h, na casa de eventos NTX, em Porto Alegre.

Amigos da Serra Gaúcha!

Outro que recentemente investiu no negócio de vinhos em parceria com uma empresa da Serra foi Galvão Bueno. O narrador da esportivo tornou-se sócio do Miolo Wine Group, segundo anunciou a vinícola de Bento Gonçalves em janeiro deste ano.

A empresa gaúcha não divulgou o valor do investimento do locutor ou a porcentagem que ele adquiriu, mas afirmou a participação da consultoria PwC, que conduziu a transação.

Segundo destaca a vinícola, o ingresso de Galvão no grupo contribuirá para a expansão dos negócios, que tem meta de subir dos atuais R$ 130 milhões para R$ 500 milhões em faturamento anual até 2020.

Avalie este artigo

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA