Como a Amazon pode mudar o e-commerce brasileiro

Como a Amazon pode mudar o e-commerce brasileiro

Como a Amazon pode mudar o e-commerce brasileiroA entrada da Amazon no comércio eletrônico nacional pode transformar este segmento e forçar as demais empresas a mudarem algumas de suas políticas no relacionamento com o cliente. Um levantamento realizado pela eCRM123 sobre oportunidades e desafios para o comércio eletrônico no país apontou que as lojas virtuais ainda apresentam grandes deficiências em suas políticas de entrega e no pós-venda. Os números apurados pela empresa especializada em estratégias de CRM no meio digital mostram que 42% dos internautas brasileiros consideram a experiência de compra online regular ou péssima.

Os produtos enviados fora do prazo representam a principal queixa com 26%. Em seguida são citados o envio de produtos com defeito (8%) e o não recebimento (5%) como as reclamações mais frequentes. “O ponto crítico para as lojas nacionais é o atendimento: na pesquisa, quase metade das respostas considera o atendimento regular ou péssimo. Embora a maioria considere bom, o percentual de pessoas insatisfeitas é alto demais”, afirma José Jarbas, CEO da eCRM123, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Atendimento é um grande diferencial no e-commerce

Os problemas de atendimento podem representar uma boa oportunidade para as empresas se diferenciarem da concorrência no ambiente virtual. Com a chegada da Amazon, os players deste setor podem ser obrigados a mudar. Entre os entrevistados pela pesquisa, 53% conhecem a Amazon e 62% consideram ótimo a chegada da loja ao e-commerce nacional. “Se a Amazon conseguir reproduzir no Brasil o que ela faz nos Estados Unidos, será uma revolução. Claro que isso não depende apenas deles. Existem muitas questões estruturais e logísticas. Porém, a política deles referente ao atendimento é totalmente inédita aqui. E foca justamente nos itens de maior reclamação entre o nosso consumidor: eficiência na entrega, rapidez no atendimento, política de troca facilitada. Aqui, para se trocar um produto o consumidor precisa provar que não errou”, alerta José Jarbas.

Fonte: Mundo do Marketing

1 COMENTÁRIO

  1. Até perceberem que brasileiros sempre dão um “jeitinho” para sair ganhando, ai eles mudam igual os e-commerce’s atuais no Brasil 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here