Como migrar de plataforma de e-commerce sem prejuízos no Google

Como migrar de plataforma de e-commerce sem perder posições no Google

Qualquer mudança dentro de um site precisa ser bem estudada e planejada antes de ser implementada. Se pequenas coisas podem ter um grande impacto, imagine a mudança de uma plataforma inteira. Pois é, está claro que é algo extremamente crítico.

Uma migração de plataforma feita de maneira errada pode acabar com qualquer negócio. Por isso fique bem atento para o processo a seguir.

1o Passo – Arquitetura da Nova Plataforma

Assim que começar a pensar na nova plataforma e antes de iniciar o design e a implementação, você deve organizar a sua arquitetura. Essa etapa é essencial para que a migração ocorra da maneira correta quando você já estiver quase lançando a nova plataforma.

Estruturar novas URLs

Uma mudança de plataforma pode ser uma boa oportunidade para você tornar a sua url mais amigável para os mecanismos de buscas. Saiba como a nova plataforma permite a estruturação da url e otimize ela da melhor maneira possível.

Links Internos

É importante verificar se a estrutura de links internos da nova plataforma oferece uma navegação similar ou melhor ao do antigo. Além de ser importante para toda a arquitetura do site, é através dos links internos que as páginas de um site trocam relevância entre si.

Usabilidade e Conversão

É importante ter em mente que a nova plataforma precisa ser construída utilizando as palavras-chave da antiga plataforma, para que continue ranqueando bem para estas palavras-chave. Por isso, os headings e textos devem ter seu espaço garantido no novo Layout.

Além disso, a mudança de plataforma é uma ótima oportunidade para rever toda a usabilidade do seu site. Verifique aspectos como botões de ação, redundância de links para facilitar a navegação, dentre muitos outros.

Caso esteja na dúvida de qual o melhor layout para converter mais, defina um que siga as boas práticas e depois que o novo site estiver online faça Testes A/B para validar a sua hipótese. Cada site é único e por isso uma técnica que converte mais em um site, pode não funcionar em outro.

2o Passo – Pré-migração

Antes de começar realmente a migração da sua plataforma, é preciso fazer um mapeamento completo da sua situação atual. Pense nessa etapa como uma foto de todo o seu site, tanto interna quanto externamente.

Backup

Antes de tudo, faça o backup completo do site. O backup inclui os seguintes pontos:

  1. Banco de dados: faça o famoso dump do banco para garantir que as informações de todos os usuários e do conteúdo estará a salvo
  2. Código fonte: se você é organizado, você terá todo o código fonte em uma ferramenta de controle de versão. Caso não tenha, será preciso fazer o login no servidor para recuperar todo o código do site
  3. Arquivos de mídia: nesse caso você precisa baixar todas as imagens, vídeos e demais arquivos que estão salvos no servidor

 

Páginas indexadas

Como migrar de plataforma de e-commerce sem prejuízos no GoogleNa pré-migração é essencial saber a quantidade exata e quais são as suas páginas indexadas pelo Google. Para isso você precisará combinar algumas ferramentas, uma sugestão são a Screaming Frog e o Google Webmaster Tools.

Com a informação das páginas indexadas você conseguirá fazer com que a nova plataforma seja estruturada para conter todas essas páginas.

Posicionamento das palavras-chave

Faça um relatório completo do seu posicionamento imediatamente antes da migração para que você tenha como foco manter o posicionamento após a migração.

Para essa tarefa você precisará utilizar novas ferramentas, sugiro a SEMRush e o Rank Tracker da Moz.com. Com elas vocês já terá a informação de posicionamento de cada uma das suas palavras-chave e da página associada. Guarde com carinho!!

3o Passo – Migração

Agora começamos a migração propriamente dita. Nesse passo você precisará colocar a mão na massa  para mapear as antigas páginas para as novas em relação a conteúdo e redirecionamento.

Redirecionamento 301

Quando mudamos de casa precisamos informar nosso novo endereço para as correspondências chegarem. Na internet é bem parecido. Quando mudamos nosso domínio ou páginas do site precisamos utilizar redirecionamentos para informar ao Google o novo endereço.

Esse é o passo mais crítico e imprescindível de uma migração. Você precisa fazer o redirecionamento 301 das URLs das páginas da antiga plataforma para as respectivas páginas da nova plataforma. É através desse redirecionamento que as antigas páginas passarão a sua relevância para as novas.

DICA: Imagina você fazer o mapeamento das URLs de um grande e-commerce manualmente? Impossível!! Por isso a dica é utilizar uma ferramenta para mapear uma grande quantidade de URLs do seu site antigo com a versão em desenvolvimento atual. Isso irá agilizar muito o trabalho!

Canonical

Conteúdo duplicado entre as páginas diminui bastante a relevância do site para o Google. O atributo rel=”canonical” é utilizado justamente para evitar isso. Com ele, os mecanismos de buscas sabem qual dessas páginas que deve ser buscada e indexada prioritariamente.

Por isso, é importante que você verifique quais são as suas páginas que já utilizam o atributo rel=”canonical” e aonde pode ser necessário colocar após a migração da plataforma. Analise quais filtros são usados na nova plataforma, as urls que se formam a partir deles, enfim, tudo que possa vir a conter conteúdo duplicado e utilize o “canonical“.

Title

É interessante passar os titles das páginas da antiga plataforma para as suas respectivas páginas na nova plataforma. Isso ajudará para que não haja queda de ranking no Google. Obviamente, isso não é uma regra.

Se você nunca tiver otimizado seus titles e sentir que seria mais vantajoso alterá-los, leve isso em consideração. Porém, saiba que poderá impactar o seu ranqueamento. O recomendável é manter os titles na hora da migração e, após um tempo, otimizá-los.

Meta Description

É bem parecido com a situação do title. A única diferença é que a meta description não influencia o ranqueamento do seu site no Google.

No entanto, ela influencia bastante a taxa de acessos. Ela é o cartão de visitas do seu site. Uma meta description bem otimizada pode aumentar o número de acessos a página.

H1

A tag <h1> é o heading mais importante. Deve ser passado os h1s das páginas da antiga plataforma para as suas respectivas páginas na nova plataforma. Lembre-se, é interessante que só haja um <h1> por página e que dentro dele estejam palavras-chave.

Imagens

Otimizar suas imagens em relação ao nome, ao atributo ALT e ao contexto é importante para conseguir tráfego pelo Google Images.

Em uma migração é essencial verificar se todas as imagens foram incluídas corretamente no novo site para evitar links quebrados.

4o Passo – Pós-migração

Nessa etapa vamos validar se todas as ações tomadas durante a migração foram feitas corretamente. Nesse ponto os relatórios gerados na pré-migração são essenciais

Páginas indexadas

Com o relatório de páginas indexadas da pré-migração em mãos precisamos realizar uma comparação com a situação atual da nova plataforma. É importante que essa comparação seja feita imediatamente após o novo site estar online. Caso tenha alguma URL com erro 404 ou sem redirecionamento 301 precisamos agir rápido para não perder a relevância e a indexação no Google.

Posicionamento das palavras-chave

Novamente o relatório da pré-migração será usado. Verifique se as suas principais palavras sofreram um impacto muito grande após a migração.

A migração sendo feita da maneira correta, você não deve sentir praticamente nenhum impacto nas suas palavras-chave. Para realizar essa etapa sugerimos em 2 etapas: logo assim que a plataforma estiver online e aproximadamente 1 semana após o sistema no ar.

Monitoramento do Google Analytics

Para ter certeza que a migração foi bem sucedida, você precisa fazer um acompanhamento do Google Analytics durante o primeiro mês para verificar se o tráfego orgânico não teve uma queda e se manteve a sua estabilidade.

Pensando já no novo sistema, é importante definir as métricas principais que deseja melhorar e passar a fazer análises que o ajudem na verificação do quão melhor a nova plataforma está se mostrando.

Casos de migração errada

Acho sempre interessante apresentar casos reais para que você leitor consiga levar para o seu dia a dia. Tenho dois exemplos de empresas de e-commerce que não realizaram a migração correta e tiveram impactos no tráfego orgânico:

Loja XYZ

Erro: Não realizou o redirecionamento 301 das URLs antigas para as novas

Consequência: Perda de 50% do tráfego orgânico

Meu XPTO

Erro: Alteração da estrutura das páginas de um produto com diferentes características. Na plataforma nova passou a ter uma página para as diferentes características e por isso deixou de ser indexado para diversas palavras-chave calda longa

Consequência: Queda de 2.200 palavras ranqueadas para 800

Como é possível perceber, o impacto da migração errada é enorme. Principalmente se as suas vendas estão pautadas na busca orgânica do Google.

Por Hildebrando Trannin, CEO da SEO Master

Como migrar de plataforma de e-commerce sem prejuízos no Google
Avalie este artigo

2 COMENTÁRIOS

    • Olá Hermes

      A melhor forma de fazer isso é através do comando Redirect 301, no caso das plataformas desenvolvidas em PHP. Esta é uma técnica de SEO utilizada para informar ao Google sobre mudanças de endereços de páginas.

      Procedendo dessa forma você dificilmente perderá suas tão arduamente conquistadas posições no Google.

      Alberto Valle
      http://www.academiadomarketing.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here