E-commerce brasileiro se prepara para a chegada da Amazon

E-commerce se prepara para a chegada da Amazon

E-commerce brasileiro se prepara para a chegada da AmazonEmbora o projeto inicial da Amazon seja entrar no Brasil por meio da loja destinada a livros para seu leitor digital, o Kindle, os grandes varejistas do e-commerce brasileiro já estão se preparando para a chegada da americana, que vende lá fora de brinquedos a sapatos, passando por eletrônicos. Os sites do país estão fortalecendo o catálogo de seus produtos e investindo na melhora da experiência de compra. O motivo, claro, é estar pronto, quando chegar a hora, para disputar com a maior varejista on-line do mundo, que só no ano passado faturou US$ 48 bilhões (R$ 97 bilhões).

— Estamos nos preparando para isso há muito tempo. A opção de entrada que estão fazendo agora, por meio do conteúdo digital, nos afeta pouco, porque é um mercado pequeno. Em alguns anos, é que ela vai ter condições de passar para outras categorias — diz Germán Quiroga, presidente da Nova Pontocom, que reúne sites de Casas Bahia, Extra e Ponto Frio.

Segundo Quiroga, o mercado brasileiro de e-commerce segue com um ritmo de crescimento acima do varejo tradicional. No ano passado, o comércio eletrônico faturou R$ 18,7 bilhões, um crescimento de 26% em cima do ano anterior quando havia vendido R$ 14,8 bilhões, de acordo com pesquisa elaborada pela empresa de monitoramento eletrônico e-bit.

Na Nova Pontocom, a expectativa é manter este ano um crescimento acima da média do mercado. Em 2011, a empresa faturou R$ 3,5 bilhões, 40% a mais que no ano anterior, ritmo quase duas vezes mais rápido que o do comércio eletrônico brasileiro.

Varejistas online se preparam para a disputa pelo mercado

A chegada da Amazon no Brasil, que nos últimos dias esteve cercada até mesmo de boatos sobre uma possível compra da Submarino, vem agitando o setor. A Comprafácil, terceira maior varejista on-line do país, com faturamento de R$ 1,7 bilhão em 2011, está expandindo o catálogo de produtos. A loja fortaleceu o segmento de linha branca e entrou em outras áreas, como a própria venda de livros digitais.

— O ano de 2012 realmente é um ano que tem sido de grandes desafios, não só por causa da oxigenação da concorrência, com a entrada de grandes empresas, mas também por uma desaceleração da economia — diz Leandro Siqueira, diretor de Marketing e Vendas da Comprafácil.

Além do catálogo, o comércio eletrônico investe para melhorar a experiência de venda em seus sites. De acordo com a Mundipagg, loja que gerencia transações on-line, essas mudanças já visam a concorrência com a Amazon.

— Só agora o varejo brasileiro começa a olhar com mais atenção para isso — diz Fabio Barbosa, sócio fundador da Mundipagg.

A varejista americana também irá trazer ao mercado brasileiro seu leitor de livros digitais, o Kindle, que agora contará com isenção de impostos segundo decisão do Senado. Hoje é possível encontrar o leitor de e-books a partir de R$ 550 no país, preço mais alto que nos EUA, mas mais competitivo que o de tablets como o iPad 2, que custa R$ 1,2 mil.

Fonte: Globo.Com

E-commerce se prepara para a chegada da Amazon
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here