Links patrocinados no Google são usados para atacar loja virtual

Campanha de link patrocinado ataca loja virtualResultado de pesquisa no Google sobre Casa do Notebook mostrava críticas à empresa em lugar de propaganda. Um link patrocinado exibido no Google ontem, 5/10, para quem procurasse pela empresa Casa do Notebook, trazia um anúncio inusitado.
O texto desse tipo de propaganda, que normalmente descreve o conteúdo da página, ou exibe o preço de mercadorias, informava “Muito cuidado com eles! Destroem seu equipamento e não estão nem aí”. Abaixo desse título era demonstrada a URL do site Reclame Aqui, que serve de interface para clientes insatisfeitos postem reclamações sobre serviços contratados e produtos vendidos na tentativa de serem atendidos pelas empresas de que se queixam.

Links patrocinados

O link do anúncio aponta para o site do Reclame Aqui, que, em conversa com o IDGNOW!, nega ter feito esse anúncio. “Isso não é ação do Reclame Aqui… não faz sentido nós fazermos algo assim”, informou o analista de SEO (otimização de sites para buscadores) do site, Gabriel Novaes. Para Novaes, isso pode ser uma manobra de concorrentes da Casa do Notebook. “Sabemos de várias histórias de companhias que concorrem no mercado por determinados produtos e é comum uma usar denúncias do nosso site para de alguma maneira manchar a reputação de outras organizações”, informa o profissional de otimização de sites.

Cliente insatisfeito?

Procurado pelo IDGNOW!, o diretor comercial da Casa do Notebook, Paulo Castanho, acredita se tratar de um cliente que não ficou satisfeito com os serviços da empresa. “Ele levou para o lado pessoal. Oferecemos uma solução que achávamos justa, mas ele não aceitou”, afirma o executivo que atribui os danos do equipamento (um laptop trazido de fora e bastante caro) ao mau uso por parte do cliente. ”Se o Google não tomar uma providência e barrar a veiculação desse anúncio, nós vamos nos defender do anunciante”.
Com relação ao Reclame Aqui, Castanho deixa claro que não existe qualquer queixa e que duvida da autoria do site de reivindicações no caso do link patrocinado. Castanho acha errado que uma pessoa física possa participar do círculo de anunciantes usando o nome de marcas registradas e que possam atribuir o conteúdo do link a outras entidades ou sites com o qual não tenham ligação legal alguma.

O que diz a lei

“Não é errado. É crime”, diz o advogado Renato Opice Bloom, especializado em Direito Digital. De acordo com ele, pessoas físicas que usem marcas registradas sem expressa autorização cometem um ato ilícito de uso de marca, agravado pelo fato de tentar atribuir a autoria da denúncia a outra entidade (nesse caso o Reclame Aqui). “É diferente do caso de um representante ou de um assistente autorizado”, explica Bloom, cujo escritório conta com larga experiência no segmento de disputas envolvendo links patrocinados.
Sobre o buscador, Bloom explica que cabe ao Google retirar esse anúncio do ar em um prazo que, normalmente, não ultrapassa as 48 horas. Do contrário, a empresa pode responder por co-autoria do uso indevido da marca. Para o anunciante, se acusado, julgado e condenado, a pena pode chegar a um ano de prisão, o que normalmente não ocorre. “As condenações nesse caso costumam ser prestação de serviços comunitários”, informa. De qualquer forma o autor pode, também, responder por danos de ordem moral, “o mesmo vale para o buscador”, explica.

Posição da Google

Procurado pela reportagem a gerente de vendas online da Google do Brasil, Lidiane Tahan, disse que é preciso buscar a proteção da marca junto ao Google. Isso pode ser feito com base em formulários disponibilizados pela empresa.
Se o responsável por uma marca quiser que o Google retire do ar uma campanha, cabe a ele solicitar diretamente com o departamento jurídico. “Cada caso precisa ser analisado”, responde Lidiane, quando indagada sobre o prazo para a retirada de campanhas Adwords. Ela afirma que a responsabilidade pelo conteúdo e os efeitos de campanhas no Adwords são inteira e exclusivamente do anunciante. Ela não quis falar sobre o ataque contra a Casa do Notebook. Com quatro anos de casa, Lidiane não soube de nenhum caso relevante envolvendo o esquema de links patrocinados para usar como referência.

Fonte: IDG Now!

Link patrocinado ataca loja virtual
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here