Turismo vira alvo no comércio eletrônico

Turismo vira alvo no comércio eletrônico

Turismo vira alvo no comércio eletrônicoEm busca de margens de lucro mais vistosas, grandes empresas do comércio eletrônico começam a desembarcar no segmento de turismo. No fim do ano passado, o Magazine Luiza e a Nova Pontocom, grupo que reúne as operações on-line de Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, lançaram parcerias para oferecer pacotes de viagem a seus clientes. A meta é tentar abocanhar uma fatia desse mercado, que, só no ano passado, movimentou cerca de R$ 8,7 bilhões, de acordo com a consultoria E-consulting.

Para migrar com segurança para essa nova área, as varejistas estão buscando parcerias. A Nova Pontocom, por exemplo, escolheu a operadora de turismo CVC para atuar como fornecedora de pacotes turísticos. O braço turístico da companhia levou o nome de Partiu Viagens e foi lançado em 15 de dezembro, com o objetivo de trazer mais retorno de uma base de milhões de clientes.

— Temos cerca de três milhões de visitantes únicos por mês em nosso site e queríamos oferecer um tipo de serviço que eles não estão encontrando em outros lugares, para complementar a nossa oferta de produtos — disse Vicente Rezende, diretor de marketing da Nova Pontocom.

Já a parceria entre o Magazine Luiza e o site de turismo Hotel Urbano, lançada no fim de novembro passado, nasceu do interesse da varejista de ampliar sua oferta de produtos. Para o Hotel Urbano, a associação com o grupo de varejo era uma oportunidade de acessar novos clientes, que ainda não se aventuraram na compra de pacotes turísticos através da internet.

— A ideia surgiu em uma reunião da equipe comercial do e-commerce do Magazine Luiza, há cerca de dois anos. Queríamos aproveitar o grande acesso ao nosso site de consumidores que nos visitavam em busca de produtos e também serviços. Um desses serviços, sinalizados por clientes através do nosso atendimento televendas, eram pacotes de viagens, passagens etc. Após vários estudos de mercado, resolvemos fechar uma parceria — disse o diretor de e-commerce do Magazine Luiza, Decio Sonohara.

A diretora de marketing do Hotel Urbano, Roberta Oliveira, explica que o site paga uma comissão para todas as vendas geradas pela página do Magazine Luiza. Além do tráfego de clientes, ela diz que a empresa se beneficiou da associação de seu nome a uma marca já fortemente estabelecida no mercado de São Paulo, onde planeja crescer neste ano.

— Foi um casamento perfeito. O Magazine Luiza entrou com a base de clientes e links, entrou com a divulgação, e nós oferecemos toda a estrutura operacional e de atendimento ao cliente — disse Roberta.

Além de grandes competidores, o segmento atrai também novos negócios, como o Aldeia Brasil, site lançado em janeiro deste ano com um investimento inicial de R$ 3 milhões, que pretende chegar a até cem mil clientes no fim do ano.

— Mesmo com muitos competidores, o mercado tem grande potencial de crescimento — disse Rubens Yoshida, presidente da Aldeia Brasil.

Para ele, o segredo para crescer nesse segmento do comércio eletrônico é trabalhar com destinos ainda não explorados e agregar mais serviços.

— Estamos negociando com companhias de ônibus para oferecer pacotes personalizados, que incluam destinos só com acesso por terra.

Fonte: Jornal O Globo

Turismo vira alvo no comércio eletrônico
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here