SEO para e-commerce – Parte 1

SEO no E-Commerce. Como otimizar sua loja virtual para as ferramentas de buscaPara entender melhor o e-commerce brasileiro, temos muita informação. Segundo o 22º Webshoppers, o mercado de lojas virtuais cresceu 40% no 1º semestre em relação ao mesmo período de 2009, com faturamento de R$ 6,7 bilhões. Foram 20 milhões de e-consumidores e até o fim do ano este número deve chegar a 23 milhões de pessoas comprando online.

Segundo a Serasa Experian Hitwise Brasil, 35% do tráfego das lojas virtuais vem de mecanismos de busca e o termo mais buscado em e-commerce é a palavra “celular”. O interessante nesses dados é que em 3º, 4º e 5º lugares, as palavras mais buscadas são variações do termo “celular”. Outra coisa importante: 96% das buscas na Internet no Brasil são feitas através do Google e 36,97% delas tem 4 ou mais palavras, um cenário um pouco diferente dos EUA, onde 28,22% possuem 4 ou mais palavras.

Quando realizamos uma busca, em geral, são exibidos os 10 resultados orgânicos para aquelas palavras-chave – e os usuários raramente passam desta página. Cada resultado possui uma composição de informações sobre o documento. Como você pode ver abaixo, para a consulta “PagSeguro” o primeiro resultado é composto de 4 partes: um título, uma descrição, uma URL e por fim os chamados sitelinks.

PagSeguro na Busca

Dicas para otimizar a sua loja virtual

A partir destes fatos, vamos estabelecer os pontos importantes para que você alcance este lugar tão desejado. Comece por entender como funciona um site. Quando criamos uma página na Internet, o seu principal atributo é o título. Imagine que cada página em seu site é como um livro e deve ter seu título único – que conta qual conteúdo mostrará. Algumas outras dicas importantes sobre este item:

  • O nome do site deve vir depois do título contextualizado da página;
  • Utilize no máximo 63 caracteres para que os usuários possam ler tudo;
  • Crie um título chamativo e criativo, informativo e curioso. Chame o internauta para conhecer você;
  • Sua marca pode vir antes ou depois do texto principal, depende do seu nicho e dos seus testes.

O segundo ponto é cuidar da sua “meta description“. Ela é um texto que, quando relevante, é usado pelos robôs de busca e pode ser visto pelo internauta. Ajuda muito a mostrar o seu negócio. O ideal é que seja chamativo, interessante e informativo – que não passe muito de 156 caracteres.

Pense no link. Sem uma URL amigável, você ficará perdido entre páginas similares. Este endereço é aquele que, ao bater os olhos, a gente sabe o que há na página. E, melhor: o robô de busca também entende mais rápido o que achou e te dá um “bônus” no ranking. Para construí-la, tudo depende da linguagem de programação. Chame a TI e coloque em prática.

Além disso, é preciso “entrelaçar” as diferentes páginas que você colocou online. Sites de e-commerce fazem isso oferecendo produtos relacionados ou sugerindo outros ao visitante. A razão é simples: você literalmente está criando links internos no site e aumentando a relevância de suas páginas internas, o que melhora sua posição.

Conteúdo, em e-commerce, é a grande questão. Os lojistas teimam em replicar o que o fabricante disse – e, como todos fazem isso, o conteúdo fica duplicado e perde a relevância. Isso acontece inclusive nas grandes lojas. Para quem não sabe, veja como resolver isso:

  • Tenha resenhas próprias dos itens em sua loja
  • Ofereça o máximo de informações técnicas do produto – vá além sempre que possível;
  • Responda as dúvidas mais freqüentes sobre o produto;
  • Ofereça comparativos, vídeos e fotos.

Aliás, já que falamos em fotos, lembre: elas também têm que ter seus próprios títulos, descritivos, claros e únicos.

Outra estratégia importante é saber quais são as principais datas do ano em que aumentam as vendas do seu nicho. Com base nisso, prepare o seu site para atender a demanda com páginas especiais. Nelas devem estar: ofertas, dicas para os visitantes, imagens e, de novo, os comparativos. Jamais tente otimizar para uma data especial que está a menos de 15 dias do planejamento. O ideal é planejar todas as ações com pelo menos 3 meses de antecedência.

Sempre que alguém comprar um produto na sua loja virtual, solicite um comentário desde comprador depois de uma ou duas semanas (e-mail marketing). Com isso, você consegue mais conteúdo específico e exclusivo.

O grande crime em termos de conteúdo é usar o que já existe ou fazer igual. Os robôs de busca simplesmente ignoram páginas que tem o mesmo conteúdo. Ponto. Isso acontece na vida real. Às vezes, o site de testes ainda está “aberto” para o robô enquanto o site real já foi publicado. Ou seja: você mesmo puxou o seu tapete! Sem contar, como dissemos, usar o texto padrão do fabricante, sem personalização.

Fonte: Mestre SEO

SEO para e-commerce – Parte 1
Avalie este artigo

2 COMENTÁRIOS

  1. Como fazer se meu concorrente copia meu conteido gerado, minhas resenhas, etc. Como os buscadores tratam esta situaçao?

    • Em termos de duplicidade de conteúdo não impacta em nada já que o Google consegue identificar qual é a publicação original. Se o concorrente faz uma releitura é outra coisa, mas o trabalho que dá é o mesmo que teria para escrever um post ou resenha inédita.

      Um grande abraço

      Rodrigo Lima

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here