Cloud computing e SaaS para e-commerce

Cloud computing e SaaS para e-commerce

Cloud computing e SaaS para e-commerceOs varejistas eletrônicos se deparam com novos desafios, e o desenvolvimento de sua estratégia de negócio os leva a expandir e inserir seu site de comércio eletrônico em mais canais e dispositivos.

Lojas especializadas, novas linhas de produtos, ofertas instantâneas, lançamento de novas áreas geográficas, entre outros movimentos, levam os varejistas eletrônicos continuamente a inovar para se diferenciar. A criação de novos sites ou novas ofertas estão ocorrendo muito rapidamente, e precisam apresentar bom desempenho para suportar o tráfego de pico durante períodos de atividade intensificada.

Mas o estabelecimento da infraestrutura dessas lojas virtuais não deve ser um obstáculo à inovação: a colocação no mercado de novas ofertas permite aos varejistas virtuais se destacar e conquistar novas fatias de mercado.

Neste contexto de ter os servidores preparados para tudo isso, a escolha da nuvem é uma alternativa a considerar com cuidado. No entanto, ele ainda levanta questões de ordem técnica, financeira ou legal.

As diferentes opções em cloud Computing

O desenvolvimento da computação em nuvem e SaaS permitem às empresas superar problemas como a operação de servidores, para que eles possam se concentrar em seu core business – o comércio. Não ter que se preocupar com problemas de infraestrutura economiza tempo para desenvolver novos projetos. Este modelo também tem impactos sobre a organização dos fluxos.

Soluções SaaS atendem às necessidades de flexibilidade e capacidade de resposta para os varejistas eletrônicos, em geral beneficiando-se de uma infraestrutura de nuvem.

Já as Soluções de Cloud Computing oferecem outras atrações: a fixação de preços de negócios, que suaviza o “consumo de recursos”, uma diminuição significativa no custo de propriedade (TCO), garantias de serviço sobre a taxa de disponibilidade e desempenho (SLA), flexibilidade real e uma alta reatividade para ajustar a potência à sazonalidade do negócio de varejistas virtuais, a cobertura internacional e uma redução dos custos de gestão e custos operacionais.

A nuvem fornece acesso a recursos praticamente ilimitados, facilmente ativados e faturados por uso.

Questões operacionais a considerar:

  • Time to Market: como obter rapidamente a infraestrutura necessária para criar novos sites?
  • Performance: como lidar com o aumento do volume do catálogo e de tráfego do site? Como garantir o desempenho em remotas áreas geográficas?
  • Segurança: que solução deve ser implantada contra os ataques mais frequentes e sofisticados?
  • ROI: como calcular o retorno sobre investimento de diferentes soluções (nuvem externa, hosting, hospedagem interna), considerando preços/custos, independência em relação ao fornecedor, segurança etc.
  • A extensão da cobertura de nuvens, combinada com a complexidade devido ao número de modelos, faz com que complexas questões jurídicas surjam, além do que o provedor pode realmente utilizar uma cadeia de subcontratantes de que o cliente não tem conhecimento.
  • É necessário definir os limites: o tratamento de mapeamento da rede, a sensibilidade dos dados, aplicações cobertas. Com a explosão de ofertas de players como Google, Microsoft, Amazon e Salesforce, vemos o surgimento de contratos-tipo de serviços que respondem à promessa de capacidade de resposta da nuvem.
  • “A questão jurídica é semelhante à de uma terceirização tradicional, mas com necessidade de maior refinamento, especialmente por causa dos riscos associados à localização dos dados e perda de controle do sistema de informação.” Denise Lebeau-Marianna , Procuradora junto ao Tribunal, Baker & McKenzie.

Mantenhase atualizado sobre Cloud computing e SaaS para e-commerce, além de outros assuntos relativosa área do comércio eletrônico assinando nosso Boletim Informativo.

Por Roberto A. Torres

Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here