Crescimento do mercado de programas de fidelidade em 2018

Crescimento do mercado de programas de fidelidade em 2018

O crescimento do mercado de programas de fidelidade em 2018 continua a surpreender, mostrando a força deste setor da economia brasileira.

Mesmo em um período de crise os programas de milhagem e programas de fidelidade estão entre os setores econômicos que apresentam melhor desempenho no Brasil.

Parte deste crescimento pode ser explicado pela própria crise, que faz com que as pessoas busquem formas mais inteligentes de comprar. Outra parte se explica pela popularização dos programas de milhagem e pontos em cartões de crédito.

Para Pablo Valle, especialista em programas de milhagem e fidelidade, os consumidores estão cada vez mais atentos às oportunidades oferecidas pelos programas de fidelidade, o que vem alavancado o setor.

“Podemos atribuir o crescimento do mercado de programas de fidelidade em 2018 ao fato das pessoas estarem descobrindo que ao usarem de forma racional e organizada seus pontos e milhas, podem viajar mais e até mesmo conseguir uma renda extra no final do mês vendendo milhas e pontos acumulados no cartão de crédito”, afirmou o analista.

Os números do crescimento do mercado de programas de fidelidade no Brasil

Segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização – ABEMF, o setor obteve um faturamento de R$ 3,25 bilhões só no primeiro semestre de 2018.

No balanço consolidado deste levantamento a ABEMF revela que o mercado de programas de fidelidade teve um crescimento de 9,8% sobre o primeiro semestre do ano passado, levando-se em consideração as seis maiores empresas do setor associadas à entidade.

O faturamento total dos programas Multiplus, Smiles, TudoAzul, Dotz, LTM e Netpoints foi de R$ 3,25 bilhões de acordo com estudo realizado pela consultoria GS&MD.

Outro número animador sobre o crescimento do mercado de programas de fidelidade em 2018 veio do número de pessoas cadastradas nestes programas, que alcançou a marca de 120,6 milhões em todo o país, o que mostra um crescimento de 20,8% em relação ao primeiro semestre de 2017.

Emissão de milhas e pontos também cresceu em 2018

Os dados do levantamento também mostram um forte crescimento no número de milhas e pontos emitidos no primeiro semestre deste ano, alcançando um total de 136,8 bilhões de pontos e milhas, o que representa um crescimento de 16,6% em relação aos seis primeiros meses do ano passado.

Os bancos e o comércio varejista despontam como os principais emissores de pontos e milhas de viagem, representando 88,9% do total. A venda de passagens aéreas respondeu pelos 11,1% restantes.

Resgate de milhas apresentou um bom crescimento

Outro ponto animador apresentado no Fórum da ABEMF, no estudo sobre o crescimento do mercado de programas de fidelidade no Brasil foi o número de pontos e milhas resgatadas.

O número de milhas e pontos resgatados cresceu 19,8% entre o primeiro semestre de 2017 e o primeiro semestre de 2018 atingindo um total de 117,0 bilhões.

Troca de milhas e pontos por produtos cresce

É certo dizer que crescimento do mercado de programas de fidelidade este ano foi fortemente alavancado pelo interesse cada vez maior do público em viajar aproveitando os benefícios dos programas de milhagem, mas a pesquisa mostra que não foi só isso.

No primeiro semestre de 2018 o varejo foi o setor que revelou maior crescimento com 26,1% dos pontos ou milhas sendo trocados por produtos ou serviços. No mesmo período do ano passado esse percentual foi de 23,8%.

Um dos mitos sobre programas de milhas é o de que elas só servem para viajar, mas como podemos ver, cada vez mais pessoas estão descobrindo outras opções.

“A evolução dos programas de fidelidade, que inclui o aumento das opções de acúmulo e resgate, tem levado o consumidor a perceber que as milhas ou pontos podem fazer diferença em seu dia a dia, aumentando seu poder de compra. A troca não precisa mais esperar a viagem de férias, por exemplo. O resgate pode vir na fila do supermercado, no posto de combustível ou para aquela experiência em um show de música”, explica o presidente da ABEMF, Roberto Chade.

O executivo explica que, apesar do cenário econômico desafiador, o setor de fidelidade no Brasil deve continuar em ritmo de crescimento.

“Muitos consumidores no país ainda estão aprendendo a utilizar os programas de forma a usufruir melhor de seus benefícios. O resgate de passagens, produtos e serviços, sem custo ou com descontos, amplia a percepção de valor por parte dos participantes, que tendem a aumentar seu engajamento. Observando as vantagens, pessoas que nunca fizeram uso da fidelização também ficam mais propensas a aderir aos programas”, conclui.

Os destinos mais procurados nas trocas de milhas

Outro dado interessante que a pesquisa da ABEMF trouxe foi a lista com os destinos mais resgatados com milhas de viagem ou pontos de programas de fidelidade, no segundo trimestre de 2018.

A primeira colocação no ranking internacional ficou com Miami, seguida por Orlando e Santiago, o destino preferido na América Latina na classificação. Os outros sete lugares ficaram com Buenos Aires, Lisboa, Nova Iorque, Paris, Roma, Lima e Montevidéu.

Nos destinos nacionais, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília ficaram com as três primeiras colocações nos destinos nacionais. Completam o ranking, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Recife, Curitiba e Manaus, que entrou na lista pela primeira vez este ano.

O crescimento dos programas de fidelidade e milhas, vem alimentando o mercado de compra e venda de milhas, que também vem crescendo a passos largos neste segmento.

O crescimento do mercado de programas de fidelidade em 2018 montra que o setor está forte e que podemos esperar novas boas notícias no futuro. Mantenha-se atualizado assinando a nossa Newsletter.

Por Pablo Valle no portal Milhagem Pro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here